"Na2SO4+2H2O" ou "Água e Sal", Uma Longa Jornada!


Uma longa jornada, por telefones, e-mail, ilusões, desilusões e vitória, assim foi uma peregrinação de 6 meses para que eu pudesse licenciar e lançar a minha música “Na2SO4+2H2O”, inspirada declaradamente e escancaradamente na música “Água e Sal”, do genial compositor paulistano Walter Franco.
Tudo começou há mais ou menos 4 anos atrás quando comprei um vinil daquela coleção “Mestres da MPB” da gravadora Abril, nele tinha Tom Zé, Hermeto Pascoal, Djalma Corrêa e Walter Franco, não preciso nem dizer que fiz milhões de experiências com a música “Cabeça” e “Água e Sal” do Walter Franco, sampleando, colando, tocando por cima… Uns meses depois na comunidade do Walter no Orkut, uma senhora propôs uma coletânea virtual em homenagem a ele e cada interprete escolhia uma música, na época, escolhi “Água e Sal” para fazer com o Radiola Santa Rosa, mas foi vetado (por inconpetencia e ignorância) pelo dono da gravadora que éramos contratados na época.
Depois de algum tempo, em 2007, criei um dedilhado no violão inspirado em “Historie de Melody Nelson” do Serge Gainsbourg em Mi menor, dedilhando o violão, fiz um teste com a colagem do disco e criei uma música em cima de “Agua e Sal”, falando do meu cotidiano, alguém que tem como cenário atravessar a balsa Guarujá/Santos todo dia; passei a música para outro tom (Sol menor) e mudei a melodia aproveitando os primeiros versos da música “água, água e sal, lava o rosto (corpo) e a alma, água e sal”, prossegui a letra transpondo para minha realidade, usando como pano de fundo, o mar, a balsa, a Dersa, o porto de Santos e Black Town (nome dado a cidade de Santos pelos estrangeiros no século XIX por causa das pestes trazidas pelos navios ao porto).

Assim que terminei a gravação caseira dessa canção, fiz a minha primeira “Romaria”, ligar para vários e vários telefones até descobrir um telefone de contato do Walter Franco, liguei e por sorte ele mesmo atendeu, falei para ele sobre todo o contexto, da influência que ele exerce sobre a minha música e de como essa música era importante pra mim, a tal ponto que fiz uma continuação pra ela e gostaria que ele ouvisse para me abençoar; ele foi extremamente gentil e me pediu que eu mudasse o nome da canção, porque isso poderia causar algum mal entendido no futuro [até então eu queria chamar a música de Agua e Sal (Ferry Boat)]. No mesmo dia mudei o nome da música para “Na2SO4+2H2O” (fórmula química de água+sal) e comecei a fazer a gravação definitiva no estúdio do Emerson Tripah.
Passado quatro meses, quando terminei de gravar as dezoito faixas no Emerson, procurei o Walter de novo pra dizer que a música estava pronta, se ele queria ouvir e qual procedimento eu deveria tomar, tinha proposto até (olha que audácia) de dividir a autoria da música com ele, no melhor estilo Beastie Boys/Jimmy Smith em Root Down, ele me disse que não queria a autoria mas por ele tudo bem a liberação, mas tinha que falar com a editora, liguei para a editora que originalmente era a “Musiclave” mas foi adquirida pelo “Grupo Arlequim”, expliquei para a funcionária toda a situação, mandei as duas músicas para ela e os diretores ouvirem e me liberarem para poder lança-la no meu “Diamante EP“, minha produção mais que independente distribuída pela Fonomatic/Tratore em formato exclusivamente virtual. Passado uma semana, recebo um e-mail da editora dizendo que a liberação estava sendo encaminhada para a Tratore e que eles iriam acertar o valor a ser pago, tive que ligar de novo de manhã para a editora e dizer que a Tratore não tinha nada a ver com isso, eles estavam simplesmente distribuindo, que toda a responsabilidade era minha e que não achava justo, eu, um professor que ganha um salário mínimo pagar por uma homenagem, a funcionária da editora disse que iria ver com os diretores e com o Walter e me retornaria o mais rápido possível, a tarde ela me manda um e-mail com a triste notícia: “Sr Caio Bosco, o Sr Walter Franco não liberou a música”.
Liguei de novo para o Walter e expliquei pra ele toda a situação, no momento ele estava irredutível e me disse que só tinha tomado aquela decisão para me preservar (o que eu não tinha entendido), fiquei super desiludido e já tinha até tirado ela do EP quando resolvi mandar um e-mail para a editora e depois de tanto rezar, recebo um e-mail da “Arlequim” dizendo que o Walter tinha voltado atrás e liberado os direitos, mas eu deveria colocar os créditos da música dele como música incidental e editar essa canção com eles, o que não questionei, assinei e agora, estou feliz com mais esse trabalho cumprido. Abaixo segue o link para escutar a minha música e mãe dela, “Água e Sal”.
Muito obrigado Walter Franco, Kátia, Grupo Arlequim e Andressinha (pelo apoio moral).

Anúncios
Esse post foi publicado em My Road. Bookmark o link permanente.

2 respostas para "Na2SO4+2H2O" ou "Água e Sal", Uma Longa Jornada!

  1. leo disse:

    Sem comentários, muito bom o som, no aguardo de ver tudo isso ao vivo aqui em SP. abraço!

  2. Caio Bosco disse:

    Leo, mandei um e-mail pra vc com as informações que vc queria.Fico muito feliz de vc ter curtido o som, tb estou no aguardo de tocar isso tudo ai em SP.Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s